CANIL BONNE SANTÉ

OPÇÕES
Pesquisa
Avalie meu site
Total de respostas: 61

Início » Artigos » Meus artigos

Canil Bonne Santé associada a Sobraci (FCI Espanha)

ORIGEM E CURIOSIDADES SOBRE O BOXER:

A Raça Boxer é de origem alemã, foi desenvolvida no final do século XIX por um grupo de cinófilos alemães que procuravam obter, mediante o cruzamento de um tipo de cão antigo, conhecido como Bullenbeisser com o Buldogue Inglês uma raça de características homogêneas e elegantes.

Perto de 1890, um cão com as características do atual Boxer se apresentou em Munich, cidade alemã da região da Bavária e acasalou com um antigo bulldog. Desse cruzamento, resultou cães de queixo desenvolvido, orelhas altas e ossos fortes.

Derivou-se consequentes cruzamentos destes exemplares a fim de eliminar-se os excessos de cor branca, proveniente do bulldog, e com isso, obterem-se a coloração desejada, o louro ou dourado, e além disto e principalmente, reduzir a robustez e conformação pesada, buscando uma conformação mais ágil e elegante.

O Bullenbeisser era um cão de pelagem dourada ou tigrada e sua constituição física era muito maciça, de cabeça grande, e musculatura exagerada.

Em 1896, fundou-se o primeiro clube do Boxer em Munich. A partir daí, foi celebrado entre os formadores da raça a necessidade de eliminar-se por completo todas as características do bulldog que poderiam desvalorizar o boxer ideal, procurando fixar o dourado e o tigrado como cor padrão em detrimento do branco.

Passados mais de cem anos para o aperfeiçoamento da raça, o que vemos hoje é um cão harmonioso, elegante e potente. Compacto e de figura quadrada, sua ossatura é pesada e sua pelagem curta. De musculatura plástica é poderosamente desenvolvida e nitidamente definida, o que confere um aspecto atlético e nobre.

Estatura: média para grande, os machos devem medir em torno de 60 cm, sendo que os machos com mais de 60 cm, devem pesar mais de 30 quilos. As fêmeas, um pouco menores, medem cerca de 55 cm e aquelas que medirem mais de 56 cm, devem pesar mais de 25 quilos.

Temperamento: fiel e muito ligado ao dono e seu território, o Boxer é um intrépido guardião. Corajoso, é dotado de um ataque potente que é facilitado pela projeção de sua mandíbula; quando parte para desempenhar esta função, somente desiste se acionado por seu dono ou vencido pela morte. Dócil no meio familiar, não é um cão de um único dono. Festeja a todos com muita alegria.

Com crianças, sua dedicação é incrível.

Mesmo sem conhecer, cuida e brinca com elas como se fossem crianças da casa. É dotado de exímio olfato e sua docilidade, aliada a energia, fazem do Boxer um cão fácil de ensinar. Embora não tão popular nos dias de hoje, o Boxer se mantém, há anos, entre as dez raças mais registradas no Brasil.

O Boxer, devido a sua versatilidade e temperamento tolerante, agrada os mais variados tipos de pessoas, principalmente aquelas que procuram aliar guarda e companhia numa única raça. A cor da pelagem hoje reconhecida pelos padrões oficiais da raça é o dourado e o tigrado, no entanto, o contingente de cães de pelagem branca vem crescendo muito e alguns cães de pelagem negra já começaram a serem criados o que deve, certamente, mudar a concepção atual das cores permitidas em um médio espaço de tempo.

É um cão que não late a toa e que gosta de estar perto do dono, entretanto, não é daquelas raças que solicitam atenção a toda hora. Embora seja um cão ativo, não é exigente na questão espaço. Um quintal e um corredor são suficientes. Há relatos de proprietários que os têm em apartamentos e segundo eles, vivem bem e não incomodam.

A pelagem curta favorece a condição de higiene e por não exalar aquele "cheirinho de cachorro" forte, não é impecílio para criá-lo nestes ambientes. É bem verdade que os passeios são convenientes, mas nada que precise ser longo ou cansativo.

Vale lembrar que a aparente docilidade não significa que são bonachões e servem apenas para companhia. O Boxer é um eficiente e valente cão de guarda.

Seus ancestrais, os "Bulldogs" ingleses eram usados em competições com touros na Inglaterra. Depois, os próprios boxers eram usados para caça de animais de grande porte como ursos. Hoje os boxers são admirados por seu companheirismo e senso de proteção para com o proprietário.

Os boxers vieram da Alemanha e eram muito pouco conhecidos fora de lá até a segunda guerra mundial. Eles descendem dos mesmos ancestrais do Mastim: Bullenbeisser e Barenbeisser. Esses eram de constituição redonda, musculosos e com mandíbulas poderosas.

O Boxer como é conhecido atualmente foi criado em Munique no final do século XIX na mesma época que se originou o nome BOXER. Há muita controvérsia a respeito da origem do nome mas uma das mais aceitas é a hipótese de que o nome deriva da maneira particular como os cães da raça costumam usar as patas dianteiras ao brincarem uns com os outros.

O Boxer foi uma das primeiras raças a serem utilizadas como cães da polícia alemã. Seu treinamento para guia de cegos também foi bem sucedido. Durante a pesquisa para escrever este artigo achamos muitas citações sobre como os boxers se dão bem com crianças e que são cães brincalhões e tem uma vida ativa mais longa que as demais raças.

O boxer ideal é um cão de porte médio, constituição quadrada, robusto de dorso curto, membros fortes e pelo curto e cerrado.

Características de um cão boxer:

Tamanho: Machos adultos medem entre 55,9 cm e 63,5 cm de altura enquanto as fêmeas estão entre 53,3 e 58,4 cm aproximadamente. Sendo que o macho não deve medir menos que o mínimo nem a fêmeas deve ultrapassar o máximo. No entanto o que é levado em conta é o balanço do conjunto qualidade individual já que o tamanho não é desqualificação.

Cabeça: A beleza da cabeça depende da harmonia entre o focinho e o crânio. O focinho deve medir 1/3 da distância do occiptal a ponta do nariz e ter uma largura equivalente a 2/3 da largura do crânio. A cabeça não deve ter rugas profundas.

Expressão: Inteligente e alerta.

Olhos: De cor castanho escuro, não muito pequenos, nem protuberante, muito menos profundos.

Orelhas: Inseridas no ponto mais alto de cada lado do crânio. Elas devem permanecer eretas quando em alerta.

Crânio: O alto do crânio é arqueado, não deve ser arredondado, achatado nem muito largo.

Focinho: Proporcional em largura e comprimento com o crânio, sem ser pontudo, estreito, curto ou raso. O nariz deve ser largo e preto. O maxilar superior é largo no encontro com o crânio e mantém essa largura até chegar na frente onde se afina um pouco. O lábio superior é grosso. O boxer normalmente é prognata inferior. Os caninos do maxilar inferior devem ter um bom comprimento e estarem separados. O boxer não mostra destes ou língua quando a boca está fechada.

Mordedura: Os incisivos superiores do canto se encaixam na parte de trás dos caninos inferiores de cada canto.

Pescoço e corpo: Pescoço redondo, de amplo comprimento, musculoso e sem barbelas.

Corpo: O peito é largo, o antepeito é profundo é bem definido e visível de lado, a profundidade do corpo no ponto mais baixo do antepeito - equivale a metade da altura do cão, as costelas se estendem até à posterior e são bem arqueadas mas não devem chegar a ter forma de barril, o lombo é curto e musculoso, os ombros são longos e oblíquos cobertos por musculatura discreta.

Quartos: Os quartos traseiros são fortemente musculados com angulação equilibrada em relação aos dianteiros. Os dianteiros, vistos de frente são retos e paralelos.

Pelagem: Curta, brilhante caindo uniformemente e rente ao corpo.

Cor: Castanho e dourado. Sendo que o castanho varia do mais claro ao escuro profundo. A variedade tigrada deve ter faixas pretas num fundo dourado. Marcações brancas não devem ultrapassar 1/3 da cor da base e não são desejáveis no dorso.

Temperamento: É por instinto um cão de guarda. No entanto se mostra brincalhão e afetuoso com a família e pessoas conhecidas. Extremamente paciente com crianças. E curioso e precavido com estranhos. Destemido se ameaçado e amigável com aproximações bem intencionadas. Chamam a atenção a inteligência, lealdade, afeição, o fato de estar sempre alerta e a boa resposta a disciplina.

Saúde: O boxer é susceptível a uma série de problemas.

Por exemplo: displasia coxo-femural, hipotireoidismo, problemas digestivos, tumores malignos e benignos e cardiomiopatias. A displasia e o hipotireoidismo afetam muitos cães e devem ser detectados antes do cruzamento.

Cães com displasia não devem reproduzir. Já cães com problema de hipotireoidismo podem cruzar desde que esse cruzamento seja feito com cuidado e com cães que não apresentem problemas de tireóide.

Doenças da tireóide podem ser controladas com medicação, já a displasia requer intervenção cirurgica.

No entanto, a incidência dessas doenças não é alta e no geral o boxer é um cão saudável.

Cirurgias: O tempo indicado para cirurgia de orelha é de: entre 9 e 10 semanas de vida e para cirurgia de cauda é de: até os 5 dias de vida e devem ser feitas sempre por um veterinário bem como seguir todos os cuidados pós operatórios adequados.Atualmente já não existe uma "real necessidade" para se realizar tais procedimentos estéticos.

Os cães "premiados" e ou com pedigree já são aceitos com a cauda.

Boxer Branco: Para entender sua ocorrência é necessário um pouco de conhecimento de genética. Os boxers possuem 3 genes básicos para cores: castanho, dourado e branco. Sendo que cada indivíduo pode possuir dois desses genes, cada gene vem de um dos pais.

O gene para cor branca é recessivo. Assim, para um cão ter pelagem branca ele deve herdar do pai e da mãe o gene recessivo para pelagem branca. Assim, se um dos pais não tiver o gene para pelagem branca é impossível nascer um filhote branco, se ambos os pais tiverem o gene para pelagem branca há uma chance de nascer um filhote com pelagem branca.Realizadas pesquisas, nota-se a incidência elevada de surdez em boxers brancos.

Visite também a página dedicada aos cães boxer no site Wikipedia, o texto é em português.

Categoria: Meus artigos | Adicionado por : dilminha (2014-04-12)
Visualizações: 397 | Tags: alemão, pedigree, filhote de boxer, Boxer, boxer padrão alemão, pedigree internacional | Ranking: 0.0/0
Total de comentários: 0